sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

É o começo desse reencontro


Imagem do Google

Quando ele veio ao meu encontro, achei que o chão iria se abrir, pensei em voltar, tremi!Vinha em minha direção com toda a confiança de sempre, perfeito em todos os sentidos.
Vieram tantos momentos na minha cabeça que pareciam uma eternidade e ele estava tão perto...
Seus olhos escuros transbordavam toda uma paixão de que um dia eu senti.Ah, mas seus olhos diziam tudo!Foi ali que um dia eu me abandonei completamente sem direito a volta.
Sua boca era tudo que eu gostaria de provar de novo e sentir seu hálito quente e deixar me levar por caminhos que nunca mais foram explorados tão bem um dia.
Quando sua mão estendeu para que eu a encontrasse, não pestanejei um segundo sequer.Deixei que seus dedos entrelaçassem à minha e ficamos parados olhando um para o outro como se o tempo parasse para este momento único.
E definitivamente me entreguei ao seu abraço que demonstrava ansiedade e saudade.Nossos corações se encontraram e batiam descompassadamente,sem ritmo.Sim podíamos sentir um ao outro.
Sua mão chegou aos meus cabelos e acariciava tão ternamente e encostei minha boca em seu pescoço e senti seu cheiro como em outras épocas.Incrivelmente seu cheiro era o mesmo!
Voltamos a nos encarar e lentamente nossas bocas se uniram tímidas e até desajeitadas, mas como esquecer seus lábios que tanto me beijaram, como esquecer sua língua, seu jeito único de beijar.Só fui beijada assim por ele.
É o começo desse reencontro!

(Bel Rech)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Procurando...


Imagem de Bel Rech

Procurando por mim em um lugar desconhecido.A procura por algo que está além daquilo que percebo, além daquilo que busco, além daquilo que preciso.
É totalmente complexo tentar descobrir-se numa briga de sentimentos, de desejos reprimidos, de sonhos que não acontecerão.
Por algum motivo é uma fuga desnecessária, por mais que busque um caminho que me dê a chance de libertar aquilo que está no peito e na garganta.
Um grito sufocado, uma dor que não tem para onde ir.
Me buscarei no infinito daquilo que não terei respostas.
Me encontrarei em algum lugar desconhecido.
Enfim irei!

(Bel Rech)

sábado, 22 de dezembro de 2012

Na cabana

Imagem do Google


Quando chega nesta época do ano, sinto-me cansada e vazia.Fico irritada por pouco e chateada por nada.
O que gostaria mesmo é estar numa cabana com um livro(nesta cabana aí da imagem...rsrsrs)na mão e em silêncio profundo, penso ainda que nesta época o que menos deveríamos ter é intensas programações.
Um de tantos sonhos que tenho é chegar o ano que vem sem nenhuma festa, sem nenhuma reunião.Simplesmente um mês sem acontecer nada.
Seria bem bacana, mas sei que será impossível, mas quem sabe meu sonho ou meu desejo se realize.
Tento guardar tais sentimentos, mas escrever posso, não é mesmo?!
Existe um momento tão lindo neste mês, que não dá para deixar em branco, mesmo que eu não sinta a alegria que deveria ter, por ser especial em relação ao menino Jesus!
Isso vai dentro do coração!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Não quero nada além


Imagem do Google

Não quero nada além, somente mais tempo para fazer aquilo que tenho em mente..
Quero viajar mais, quero alçar vôos e poder voltar...
Quero rir mais, sentir mais, querer mais...
Quero ter mais humildade e ser menos egoísta...
Quero um livro a mais, um desejo solto...
Quero um abraço apertado e um sorriso franco...
Quero um olhar comprometedor e um beijo fácil...
Quero um sentido real e um prazer pleno!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Façamos...


Imagem do Google

"Façamos da interrupção um caminho novo.
Da queda um passo de dança,
do medo uma escada,
do sonho uma ponte, 
da procura um encontro!"

(Fernando Sabino)

sábado, 15 de dezembro de 2012

Blogagem coletiva de Natal


Eu escolhi esse texto para a blogagem coletiva da querida Rosélia do Blog Espiritual Idade, pois fala muito daquilo que sinto nesta época, não sou fã do mês de dezembro, gostaria que já fosse 2013, pois é muito cansativo e me faz ficar muito triste, não pelo o que realmente significa para mim e no que eu acredito na minha fé, no nascimento de Jesus(tenho minhas dúvidas, assim dizia um professor de Teologia, que devemos ter sempre dúvidas, vivemos constantemente em busca de respostas, das quais nunca a temos completamente).
A TV apela para o consumismo e para a caridade somente no final de ano e o todos os outros meses, como ficam aqueles que realmente precisam?
O verdadeiro sentido de que é importante e me deixa contente é quando fazemos diariamente aquilo que Jesus quer e que realmente acreditamos, não somente num determinado mês.Para minha felicidade, sabendo que a temos por momentos é tentar ser melhor a cada dia.Nada como um dia após o outro.Quando termina um dia amanhã terei certeza que ontem fiz algo de bom.Mas nem sempre é assim, pois somos humanos demais(rsrsrsr), erramos mais que acertamos.
Vale lembrar que a tentativa é válida, pois no fundo sempre queremos fazer o melhor!
E isso faz que eu tenha sucesso com aquilo que eu acredito.


Encerrar ciclos


Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te:
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.
Estou em dúvida ainda sobre o autor se é Fernando Pessoa ou Sonia Hurtado.

Entrei neste blog que tem uma explicação, mas tenho certeza que alguém vai me dar uma informação correta, quem sabe a Luma...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Dezembro


Imagem do Google

O mês mais cansativo e que faltaria dias para tantas reuniões, apresentações , amigo secreto do trabalho, dos amigos, da igreja, dos grupos, da escola e da família.
Fico irritada, cansada e revoltada, pois tudo deve acontecer no Dezembro.Leva criança para cá, leva criança para lá(isso para quem tem dois filhos, imaginem mais alguns).
Pior ainda é o apelo para o consumismo na TV aberta...e o telefone que não para de tocar de instituições sérias e outras nem tão sérias pedindo um presente para uma criança ou para um idoso.
Mas isso só acontece no final do ano, o restante dos outros meses, nem sabem o nosso número.
Fico irritadíssima com essas atitudes de final de ano, pois temos todo o ano para fazer caridade e para mudar o dia de alguém que necessita não somente no mês de Dezembro.
Penso que pessoas assim tentam se redimir justamente nesta época do ano ou quem sabe procurando a salvação justamente aí.Que me perdoem os que fazem somente nesta época, é o que eu penso.
Então em um mês querem fazer tudo aquilo que não fizeram em exatamente em onze meses.
Isso me cansa...gostaria dessa época sair para um lugar isolado e ficar totalmente sozinha.Um dia farei, por enquanto os filhos necessitam da minha "caridade" para levá-los em todas as apresentações que faltam e todos os amigos secretos ou ocultos que faltam participar.
Sinto falta do meu blog, dos meus escritos, de comentar em tantos blogues.
Me perdoem meus amigos, sei que estou em falta, mas FALTA TEMPO!

De volta

Amigos... Desde Dezembro, tanta coisa aconteceu...Minha vida deu 360º , mas se estou feliz? Estou em paz, leve e solta...(não no sentido...