sábado, 31 de agosto de 2019

Casado?





Encontrei-o somente com a parte de baixo do pijama, colocando as xícaras na bandeja e quando me viu, veio de encontro me abraçando fortemente.
-Quanto tempo tenho sonhado com esse momento!
-Sério? Pensei que tinha me esquecido para sempre, foi um relacionamento tranqüilo e apaixonado o nosso, na nossa adolescência.
-Mas algo ficou inacabado e quando nos encontramos da última vez ninguém disse adeus, está lembrada?
-Sim, como poderia esquecer aquele trágico dia?
-Não foi tão trágico, aconteceu o que tinha que acontecer.
-Mas você não me disse que era casado. Fiquei desesperada quando soube que estava saindo com um homem casado.
-Você não me perguntou, não achei que era para dizer e também não deu tempo. Eu iria te contar no outro dia, lembra quando marcamos?
-Sim!
-Não sabia que ela viria me encontrar no Hotel, eu iria te contar no dia que ela nos encontrou.. Queria me desculpar, mas você não atendeu minhas ligações, deixei várias mensagens no seu celular.
-Eu sei, joguei fora o celular em um rio, para ele parar de tocar, estava com muita raiva, pois acreditei em você em tudo que me disse para acontecer tudo que aconteceu.
-Mas agora acredita em mim?Eu não estou casado.

Bel Rech

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Tentei..


Tentei desvencilhar-me sem acordá-lo, mas foi inútil. Senti que me segurava e puxava para mais perto. Não consegui fugir de seu abraço, de seus beijos, mais uma vez exigentes, mas suaves.
-Bom dia! Está com fome?
-Bom dia! E como estou...
-Vou fazer um café. O que quer de especial?
-Nada, café puro, nada mais.
-Ok, seu desejo é uma ordem.
Enquanto Eduardo ia fazer o café, fiquei ali atirada na cama pensando em tudo o que aconteceu, porque fomos nos encontrar agora. Ele está separado, eu sozinha. É o acaso? Nosso destino está traçado nos dando uma nova chance?É para ser?Será que não é um sonho?
Dei leves tapas no rosto para acordar, pois poderia estar sonhando. Tive que rir, pois doeu.
Levantei e coloquei um hobby azul que estava na cadeira, sentindo seu cheiro forte e o mesmo arrepio da noite anterior.
Caminhei até a cozinha e percebi que seu apartamento era pequeno e muito sóbrio, nada de muitos móveis e acessórios. Um apartamento de fim de semana.
(Bel Rech)

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Não teve palavras...


Imagem do Google


Pegou-me nos braços e levou-me diretamente para seu quarto. Não teve palavras, somente queríamos extravasar aquilo que estava guardado há tanto tempo.
Meu corpo pedia, ansiava por seus carinhos, mas ele queria prolongar mais e eu pegava em seus cabelos quase selvagemente  para que não prolongasse essa loucura.
Meu corpo ansiava pelo dele, mas ele queria tocar em cada parte do meu corpo como se fosse a primeira vez.
Entregamos-nos a essa paixão alucinante e deixamos que nossos corpos buscassem freneticamente a explosão que tanto fizeram falta até que nossos corpos suados e exaustos ficassem inertes.
Lembro- me agora perfeitamente de tudo.
Ficamos ali abraçados sem falar, apenas sentindo um ao outro até dormimos. Quando acordei senti aquele braço forte  a me envolver.
(Bel Rech)

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

O ruído da festa...


Imagem do Google


O ruído da festa foi sumindo aos poucos, meus lábios se abriram levemente e senti um sorriso meio torto e sem chances. Fechei os olhos e deixei que o movimento de seus lábios me enlouquecesse. Apertei de encontro ao meu corpo em uma entrega sem volta e deixei que meus sonhos mais doces e mais adolescentes tomassem conta de mim.
Seu hálito me deixa  tonta, seus lábios se moviam com uma fome e uma força esmagadora antes desconhecida e seu abraço me deixava sem ar. De repente parou e falou baixinho no meu ouvido mordiscando minha orelha.
-Precisamos sair daqui, agora!
Saímos como dois adolescentes, fugindo sem que ninguém percebesse nossa fuga. Entrei em seu carro e partimos para seu apartamento.
No caminho, suas mãos não paravam de percorrer meu pescoço, minhas pernas, meu rosto e não havia palavras para tantas emoções, que passavam pela minha cabeça.
Quando a porta fechou atrás de mim, senti seu abraço forte, sua boca, seus lábios exigentes, senti que aquela atração física de algum tempo, ainda estava viva e a chama não tinha apagado.
(Bel Rech)

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Taça vazia...

Imagem do Google

Minha taça estava vazia, passou um garçom e troquei. Minha cabeça estava girando, mas não era só a bebida, era ter Eduardo bem na minha frente, solteiro, livre, solto e tanta coisa passando pela minha cabeça.
Na realidade eu queria tocá-lo, encostar minha cabeça em seu ombro, deixar seu abraço tomar conta de mim. Estava tão carente de um abraço, de um beijo...
Minha cabeça girou e senti que iria cair, quando um braço forte me segurou e deixei que seus olhos encontrassem o meu, o hálito de sua boca perto da minha, meus braços se enroscaram em seu pescoço. Deixei que a lua fosse testemunha deste momento mágico.
Quando ele me ergueu, suas mãos continuavam na minha cintura. Um arrepio percorreu todo meu corpo e deixei que sua mão vagasse pelas minhas costas, chegassem ao pescoço e seus olhos continuavam me fitar de uma maneira sincronizada com tudo que ele fazia. Nada escutava somente o som do meu coração.
Sua boca foi chegando mais perto da minha e eu não queria resistir a nenhum movimento, queria me entregar de fato.

(Bel Rech)

Olhos nos olhos -Parte do Reencontro

Imagem Google -Não sei se quero sofrer de novo. Agora estou saindo de sua cama, não tenho muito que pensar. Preciso que me dê...