domingo, 1 de setembro de 2019

Olhos nos olhos -Parte do Reencontro




Imagem Google


-Não sei se quero sofrer de novo. Agora estou saindo de sua cama, não tenho muito que pensar. Preciso que me dê um tempo.
-Tempo eu não quero, posso te propor que saíamos algumas vezes para poder mostrar que realmente quero dar uma chance para nós dois. E assim vamos aproximando aos poucos, embora prefiro essa aproximação. Chegou perto de mim e encostou-me  na parede da porta que dava para a cozinha. Prendendo minhas mãos e beijando meu pescoço. Não tinha como resistir a tudo isso, era covardia de sua parte, pois ele me deixava louca como sempre, não tinha como pensar quando fazia isso. E nada mudou no seu toque e sua sedução. Deixei-me levar por seus beijos, por sua língua que exigia cada vez mais e meu corpo não resistia a todo esse desejo. Segurou meus braços acima da cabeça com uma mão e a outra desvendou meus segredos e me deixei levar até a mesa, não tivemos pressa desta vez, foi algo para recuperar, algo para ser prolongado e deliciosamente aproveitado.
Olhos nos olhos, sentindo tudo aquilo que um dia sentimos mais maduros, conscientes dessa paixão que exigia mais do que eu imaginava. Estava sentindo o mesmo por parte dele, embora não lesse seus pensamentos, mas seu olhar cumpria essa promessa.
(Bel Rech)

Continua...

Pensativa...




Fiquei olhando para ele, me falando todas essas coisas, acabei ficando com ele, pois estava carente, pois nunca deixei de amá-lo, de sonhar, de pensar, de reencontrar, de tocar e viver esse amor que não vivemos intensamente em outra época.
Queria tanto, mas tinha dúvidas. E se ele voltasse de novo para a esposa? Se ele queria passar apenas uma noite.
-Você está me ouvindo Isabelli?
-Diga... (voltando ao que ele falava)
-Eu queria me encontrar com você antes de te encontrar na Regina, iria buscar-te  por toda a cidade. Mas tive a sorte de te encontrar. É o destino que nos levou nesta festa. Era para a gente se encontrar e nunca mais nos separar.  Eu tive muito tempo para pensar neste meio tempo, pois depois que eu e minha esposa nos separamos, queria dar um tempo fora do país para ter certeza que não era algo passageiro, que era algo que não acertamos no passado e que deveríamos resolver nossa situação. Por isso voltei, para buscar esse amor que não ficou resolvido. Até porque éramos muito jovens na época, Não sabíamos bem o que queríamos, mas tínhamos uma paixão avassaladora que não senti por ninguém mais, somente por você. Esse encontro de alma  de coração e de corpos eu sinto só contigo. Levei tempo para descobrir, mas depois desta noite não dá para evitar. Não tem como nos afastar assim como se nada tivesse acontecido e que tudo não passou de um sonho. - O que estou tentando falar é que gostaria de recomeçar de onde paramos. O que achas?

(Bel Rech)

sábado, 31 de agosto de 2019

Casado?





Encontrei-o somente com a parte de baixo do pijama, colocando as xícaras na bandeja e quando me viu, veio de encontro me abraçando fortemente.
-Quanto tempo tenho sonhado com esse momento!
-Sério? Pensei que tinha me esquecido para sempre, foi um relacionamento tranqüilo e apaixonado o nosso, na nossa adolescência.
-Mas algo ficou inacabado e quando nos encontramos da última vez ninguém disse adeus, está lembrada?
-Sim, como poderia esquecer aquele trágico dia?
-Não foi tão trágico, aconteceu o que tinha que acontecer.
-Mas você não me disse que era casado. Fiquei desesperada quando soube que estava saindo com um homem casado.
-Você não me perguntou, não achei que era para dizer e também não deu tempo. Eu iria te contar no outro dia, lembra quando marcamos?
-Sim!
-Não sabia que ela viria me encontrar no Hotel, eu iria te contar no dia que ela nos encontrou.. Queria me desculpar, mas você não atendeu minhas ligações, deixei várias mensagens no seu celular.
-Eu sei, joguei fora o celular em um rio, para ele parar de tocar, estava com muita raiva, pois acreditei em você em tudo que me disse para acontecer tudo que aconteceu.
-Mas agora acredita em mim?Eu não estou casado.

Bel Rech

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Tentei..


Tentei desvencilhar-me sem acordá-lo, mas foi inútil. Senti que me segurava e puxava para mais perto. Não consegui fugir de seu abraço, de seus beijos, mais uma vez exigentes, mas suaves.
-Bom dia! Está com fome?
-Bom dia! E como estou...
-Vou fazer um café. O que quer de especial?
-Nada, café puro, nada mais.
-Ok, seu desejo é uma ordem.
Enquanto Eduardo ia fazer o café, fiquei ali atirada na cama pensando em tudo o que aconteceu, porque fomos nos encontrar agora. Ele está separado, eu sozinha. É o acaso? Nosso destino está traçado nos dando uma nova chance?É para ser?Será que não é um sonho?
Dei leves tapas no rosto para acordar, pois poderia estar sonhando. Tive que rir, pois doeu.
Levantei e coloquei um hobby azul que estava na cadeira, sentindo seu cheiro forte e o mesmo arrepio da noite anterior.
Caminhei até a cozinha e percebi que seu apartamento era pequeno e muito sóbrio, nada de muitos móveis e acessórios. Um apartamento de fim de semana.
(Bel Rech)

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Não teve palavras...


Imagem do Google


Pegou-me nos braços e levou-me diretamente para seu quarto. Não teve palavras, somente queríamos extravasar aquilo que estava guardado há tanto tempo.
Meu corpo pedia, ansiava por seus carinhos, mas ele queria prolongar mais e eu pegava em seus cabelos quase selvagemente  para que não prolongasse essa loucura.
Meu corpo ansiava pelo dele, mas ele queria tocar em cada parte do meu corpo como se fosse a primeira vez.
Entregamos-nos a essa paixão alucinante e deixamos que nossos corpos buscassem freneticamente a explosão que tanto fizeram falta até que nossos corpos suados e exaustos ficassem inertes.
Lembro- me agora perfeitamente de tudo.
Ficamos ali abraçados sem falar, apenas sentindo um ao outro até dormimos. Quando acordei senti aquele braço forte  a me envolver.
(Bel Rech)

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

O ruído da festa...


Imagem do Google


O ruído da festa foi sumindo aos poucos, meus lábios se abriram levemente e senti um sorriso meio torto e sem chances. Fechei os olhos e deixei que o movimento de seus lábios me enlouquecesse. Apertei de encontro ao meu corpo em uma entrega sem volta e deixei que meus sonhos mais doces e mais adolescentes tomassem conta de mim.
Seu hálito me deixa  tonta, seus lábios se moviam com uma fome e uma força esmagadora antes desconhecida e seu abraço me deixava sem ar. De repente parou e falou baixinho no meu ouvido mordiscando minha orelha.
-Precisamos sair daqui, agora!
Saímos como dois adolescentes, fugindo sem que ninguém percebesse nossa fuga. Entrei em seu carro e partimos para seu apartamento.
No caminho, suas mãos não paravam de percorrer meu pescoço, minhas pernas, meu rosto e não havia palavras para tantas emoções, que passavam pela minha cabeça.
Quando a porta fechou atrás de mim, senti seu abraço forte, sua boca, seus lábios exigentes, senti que aquela atração física de algum tempo, ainda estava viva e a chama não tinha apagado.
(Bel Rech)

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Taça vazia...

Imagem do Google

Minha taça estava vazia, passou um garçom e troquei. Minha cabeça estava girando, mas não era só a bebida, era ter Eduardo bem na minha frente, solteiro, livre, solto e tanta coisa passando pela minha cabeça.
Na realidade eu queria tocá-lo, encostar minha cabeça em seu ombro, deixar seu abraço tomar conta de mim. Estava tão carente de um abraço, de um beijo...
Minha cabeça girou e senti que iria cair, quando um braço forte me segurou e deixei que seus olhos encontrassem o meu, o hálito de sua boca perto da minha, meus braços se enroscaram em seu pescoço. Deixei que a lua fosse testemunha deste momento mágico.
Quando ele me ergueu, suas mãos continuavam na minha cintura. Um arrepio percorreu todo meu corpo e deixei que sua mão vagasse pelas minhas costas, chegassem ao pescoço e seus olhos continuavam me fitar de uma maneira sincronizada com tudo que ele fazia. Nada escutava somente o som do meu coração.
Sua boca foi chegando mais perto da minha e eu não queria resistir a nenhum movimento, queria me entregar de fato.

(Bel Rech)

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Reencontro continua


-Mas me diga Isabelli, está sozinha?
-Sim, estou muito ocupada com os negócios que não tenho tempo de me preocupar com alguém me esperando.
-Entendo!
Neste momento nossa amiga chegou.
-Vi que já se encontraram e colocaram a conversa em dia.
Eu respondi com uma careta para ela. -Sim, minha querida amiga, já deu para conversar um pouco.
Ele respondeu:
-Certamente foi uma bela surpresa, Regina, por essa eu não esperava. Você guardou muito bem esse segredo.
-Foi o acaso, pois perdi o telefone de Isabelli e outro dia nos encontramos e  convidei -a de última hora.Ela foi muito legal em aceitar e não tive tempo de falar  que estaria por aqui.
-Bom, vou dar mais uma volta para ver se falta alguma coisa, se comportem. E saiu com uma piscadela.

Bel Rech


sábado, 22 de junho de 2019

Reencontro...





-Encontrei-a outro dia e ela me convidou para seu aniversário, dizendo  que teria muitas pessoas conhecidas. Como estava devendo uma visita, resolvi aceitar. Sabia que não poderíamos conversar hoje. Fiz uma força para prestigiá-la, como tinha nenhuma programação, aceitei de imediato.
-Desta vez ela nos pregou uma peça. A festa é dela, mas a surpresa é nossa. Pensei que nunca mais nos encontraríamos, depois da última vez que estivemos juntos.
-Pensei como você. E sua esposa veio junto?
-Não. (pausa) Nos separamos.
-Hummm (meu coração pulou, mas não saiu). Sinto muito!
-Não sinta, nossa relação estava desgastada.
-Uma separação é dolorosa de qualquer forma. .A gente já está acostumado com o outro, escovas de dente sempre juntas e depois não há nada. E a companhia faz falta de vez em quando. Sorri. Ele estava compenetrado no que eu estava falando.

Continua....


Bel Rech

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Reencontro...continua!



Minha cabeça dava voltas e o vinho fazendo mais reviravoltas, pensando que jamais o encontraria e esse seria o último lugar para reencontrá-lo. Continuava lindo como da última vez que nos vimos, com mais linhas finas ao redor de seus olhos negros, que continuavam suplicantes  como sempre, o corpo continuava deliciosamente forte, leves fios de  cabelos grisalhos e as mãos continuavam do mesmo jeito. Será que tinha o mesmo toque? E a boca carnuda e o sorriso perfeito. Cada detalhe aguçou meu apetite lembrando-me que fazia algum tempo que não sentia nada parecido por alguém.
-Uma noite linda para ficar no jardim! Fugi um pouco do barulho para apreciar um pouco desta maravilha.
-Eu também dei uma fugida para buscar um pouco de ar, lá dentro estava muito quente. E você, o que tem feito? Pelo que falei com a Regina, fazia algum tempo que não a via.

E continua...

Bel Rech

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Reencontro...continua!





A lua, trouxe-me  muitas recordações!-Falou a voz
Muitas recordações vieram a minha cabeça, como num filme. Nós nos encontrávamos em uma estrada deserta e geralmente a lua era testemunha. Virei devagar para não cair, quando encontrei os olhos de Eduardo.
-Olá, quanta surpresa! Você por aqui. Como vai? - Pensei comigo. Essa era a surpresa da minha amiga.
-Bem e  você?-Respondeu Eduardo.
-Comigo está tudo bem. Não sabia que estaria por aqui! Dá última vez que soube de você, estava fora do país.
-Voltei alguns dias, pois tenho assuntos para resolver. Encontrei a Regina, falamos sobre os velhos tempos, que daria uma festa e já que estava por aqui, poderia encontrar velhos amigos. E realmente encontrei!


E continua...

Bel Rech


Reencontro....continua!



Imagem via Tumblr

Toquei a companhia. Regina abriu a porta com um sorriso amplo e bem humorado como sempre, deu-me um grande abraço e fez sinal para entrar.
Entramos numa sala cheia de convidados. Alguns me recordavam brevemente, outros nunca tinha visto, mas logo já estava entrosada.
Ela saiu para atender outros convidados e não deu tempo para perguntar sobre a surpresinha.
Tomei uma taça de vinho, mais uma e a conversa fluía normalmente, não me lembro de ter comido algo. Fui caminhando até o jardim, já que estava encantada com a casa. Cheguei até uma parte do jardim repleto de plantas, sentei-me em um banco rústico. Ali dava para contemplar tanta beleza do verde e das flores multicoloridas e uma lua cheia para dar mais luz ao ambiente.
De repente ouvi alguns passos e ouvi aquela voz que jamais poderia esquecer. Meu coração começou a bater descompassado, suei frio, não tinha coragem de olhar para trás, acreditando ser um fantasma.


Continua...

Bel Rech

Reencontro...continua!


Enquanto saía do restaurante correndo até chegar ao meu carro, fiquei curiosa para saber o que seria. Agora fiquei ansiosa, pois o sorriso dela era muito maroto.
Enfim chegou o dia da tão dita e surpresa festa.  Coloquei um vestido preto, nunca erro essa cor e também olhei minha silhueta no espelho, leve barriguinha, mas o preto disfarçava. Coloquei um sapato preto de salto e retoquei o batom.
Mantive a maquiagem como sempre, leve, mas exagerei no batom vermelho. Para uma festa poderia exagerar um pouco. Talvez encontrasse alguém interessante nesta festa!
 Não demorei em encontrar o endereço, um bairro novo e casas novas, com árvores ambos em os lados e todas com cores dos mais diversos tons de verde.  Pensei que, se não me sentisse tão segura no meu apartamento até gostaria de morar em um lugar assim, tranquilo e gostoso, em que os jardins ficavam sem cerca, iluminado  e com segurança na entrada.
Estacionei, dei uma olhada no espelho para ver se estava tudo em ordem. Desci e caminhei alguns metros, já estava na porta.


Continua...

Bel Rech

terça-feira, 18 de junho de 2019

Reencontro...continua


Essa minha amiga de adolescência, de festas, segredos e coração, a Regina. Vivíamos sempre juntas, irmãs de alma. Podíamos sempre contar uma com a outra em qualquer circunstância e em qualquer emergência.
Passaram-se tantos anos, mesmo que mantivéssemos contato, raramente nos encontrávamos. Esse foi um reencontro maravilhoso e me fez recordar pessoas do meu passado em que eu acreditava estar enterrado naquela cidade e no meu coração.
A vida é muito estranha e nada deixa passar, mesmo que os anos passem algumas coisinhas do coração, pendentes, ficam escondidas, mas jamais cicatrizadas.
Neste encontro não tivemos muito tempo de colocar a conversa em dia, pois eu estava atrasada para uma reunião. Então, Regina insistiu para que eu fosse a sua festa, pois teria uma grande surpresa para mim. Tive que rir.  Que surpresa ela teria, se fazia algum tempo que não tínhamos mais conversado. Deixei para lá e confirmei com ela.



Continua...

Bel Rech
Imagem via tumblr

Reencontro...

Senti que algo me apertava e não conseguia me soltar. Um peso! Tentava de todas as maneiras levantar, algo me prendia...
Meus olhos continuavam fechados e eu tentava descobrir porque estava presa até o momento que consegui abrir e perceber que um braço estava enroscado na minha cintura como uma corrente.
Lembrei-me da noite anterior, depois de algumas taças de vinho e tentei lembrar tudo que aconteceu, mesmo que a minha cabeça estivesse latejando.
Mas deixei que aquele braço forte se mantivesse ali, pois era o que eu mais queria naquele momento tentar lembrar o que acontecera.
Na noite anterior fui convidado a uma festa de uma grande amiga, que não nos víamos a muito tempo.Foi um encontro casual em um restaurante , trocamos telefones e me convidou para sua festa de aniversário que seria dois dias depois.

Continua...

Bel Rech
Imagem via Google

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Plena

Sempre em busca do que nos faz bem...estar plena!
Mas o que nos deixa estar em plenitude? Estar completo, cheio, na totalidade...
Quando descobrimos o que nos deixa plena, encontramos uma paz inexplicável.
Será que é a maturidade?
Será que é as escolhas?
Será que é as atitudes?
Será que é as decisões?

Bel Rech
Imagem Google

Olhos nos olhos -Parte do Reencontro

Imagem Google -Não sei se quero sofrer de novo. Agora estou saindo de sua cama, não tenho muito que pensar. Preciso que me dê...