A fita métrica do amor

Imagem do Google

Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade. Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto. Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês. Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo. É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes. Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.

Martha Medeiros

Comentários

  1. Engraçado esse pensamento, sabe que este dia estava comentando que no meu caso de uma separação, não deve mudar o pai maravilhoso que meu marido foi, acho que as pessoas confudem muito as coisas, imagino que se até mesmo ele me trair não apaga os 15 anos de um bom casamento, a gente costuma misturar tudo numa mesma panela, mas não devia ser assim, afinal todo mundo tem um lado bom e ruim e todo mundo faz coisas boas e ruins, isso vai depender de quem vê. Bjs Eliane

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Bel...

    Os textos da Martha são sempre muito sensíveis...
    Eu gosto!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Muito profunda essa reflexão! Gostei. beijos, Ro

    ResponderExcluir
  4. Esse texto é maravilhoso amiga ,gosto muito!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  5. Oi querida, quelindo o nome do seu blog!
    è complicado esta tal fa fita métrica do amor, sem ela as coisas seriam tão mais fáceis não é mesmo?
    Penso que a única forma de não a usarmos é entender que o outro é em primeiro lugar um ser humano , que erra, que acerta, que decepciona, que chora, que ri, que também precisa de perdão como nós.
    Um bju amiga
    Com amor
    Marly

    ResponderExcluir
  6. Oi, Bel!

    Os textos da Martha Medeiros nos tocam profundamente, por nos indenficarmos tanto com eles. É verdade, o tamanho de uma pessoa se mede pela sensibilidade.
    Excelente escolha, amiga.

    Feliz Semana Santa!
    Socorro Melo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Blogagem Coletiva 5ª Fase - Reintegração

Poema à boca fechada