Mensagem de Amor


Imagem do Google

Antes de amar-te, amor, nada era meu
Vacilei pelas ruas e as coisas:
 Nada contava nem tinha nome: 
O mundo era do ar que esperava. 
 E conheci salões cinzentos,
 Túneis habitados pela lua, 
Hangares cruéis que se despediam, 
Perguntas que insistiam na areia. 
Tudo estava vazio, morto e mudo, 
Caído, abandonado e decaído, 
Tudo era inalienavelmente alheio, 
Tudo era dos outros e de ninguém, 
Até que tua beleza e tua pobreza
 De dádivas encheram o outono.

(Pablo Neruda)

Comentários

  1. Lindíssima!!beijos e ótimo fds!chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Bel,
    Amo este poema de Neruda, aliás, amo Neruda.
    Tenha um ótimo final de semana!
    xoxo

    Gosto disto!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Blogagem Coletiva 5ª Fase - Reintegração

Poema à boca fechada