quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Doce lembrança


Imagem via Google


Chegou o dia em que olhei para trás e vi que não mais te encontraria, somente as lembranças de seu rosto. Foi bobeira, ficamos parados naquele tempo que poderíamos ter vivido mais, ter amado mais, ter sentido mais...Consigo na minha imaginação traçar a linha de seu rosto e o contorno de sua boca tão perfeitamente. Posso ainda sentir o hálito e sentir seus lábios nos meus...posso sentir seu abraço e ainda ouvir você sussurrando no meu ouvindo dizendo que me ama. Poderia esquecer? Poderia ter fingido que não via nada a minha volta, que o ciúmes não fazia parte de nós...mas impossível não sentir, se você era o melhor em tudo...Poderíamos ter aproveitado mais o tempo ao ar livre, quando nada nos impedia...ter observado mais a dança das árvores e escutado o que o vento nos dizia...Em todos os momentos que curtimos a lua cheia e sim, ela era testemunha de nossos segredos! O destino nos separou ou nós deixamos de viver o amor? O tempo foi o que nos distanciou? Nossas escolhas foram decisivas? De uma certeza eu tenho...que lembranças não podem ser escondidas debaixo de sete chaves. Pois, elas vão e voltam para atormentar em algum momento de nossas vidas...E vai se afastando para não mais voltar...quando fecho os olhos , vivo cada momento, mesmo sabendo que não poderemos mais viver o que um dia vivemos!
(Bel Rech)

Um comentário:

  1. Tu escreves muito bem,Bel! Lindo e cheio de sentimento! bjs, chica

    ResponderExcluir