Viver como as flores

Recebemos essa mensagem no Encontro de Casais e gostaria de compartilhar, talvez muitos conheçam, não tenho o nome do autor , até busquei para os devidos créditos.Quem souber, deixe no comentário.

Viver como as flores
Imagem do google

-Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.
Algumas indiferentes.Sinto ódio das que são mentirosas.Sofro com as que caluniam.
-Pois viva como as flores! -Adverte o mestre.
-Como é viver como as flores? -pergunta o discípulo.
-Repare nestas flores, continuou o mestre, apontando lírios que cresciam no jardim. Elas nascem no esterco, entretanto são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.
É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus. Se não são seus não há razão para aborrecimento.
Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.
Isso é viver como as flores.

Mesmo um texto tão claro, é difícil a gente como ser humano não se aborrecer, hoje leio com sabedoria e interpreto o texto, entendo e tento colocar em prática, mas amanhã vem uma ducha de água fria e esqueço o que li...engraçado, é um exercício constante nos nossos atos e afazeres.
Tenho  que conviver  com meus defeitos e tentando aceitar os demais,  não aborrecer os demais e nem trazer para mim os aborrecimentos dos outros.
Viva as flores...

Comentários

  1. É realmente difícil não se aborrecer, tapar os ouvidos e não ouvir, e nem olhar pro que nao gostaríamos de ver, viver como flores seria como estar num paraíso, belíssima mensagem, amei, beijos e bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Esse texto é lindo! Sabe que luto também para conseguir viver assim como as flores. bjs Eliane

    ResponderExcluir
  3. Oi Bel.

    Viva como as flores. Realmente um texto muito profundo e reflexivo. Geralmente quando a conduta de alguém me aborrece, me questiono pq estou aborrecida, é também um ótimo exercício de auto conhecimento.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Bel, a vida é assim, um constante aperfeiçoamento e aprendizado.Se as flores além de nos encantarem por sua beleza servirem de exemplo - este com certeza é um belo presente do criador.Valeu querida a linda mensagem para reflexão e futura prática.Um forte abraço que a semana seja de muita paz.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    amei o texto! Principalmente que sou fã das flores. Ela são um terapia pra mim... naqueles momentos bem difícil me reservo no meu jardim!
    Um exercício contante é o da boa convivência, do respeito, do bom senso...

    Adorei seu cantinho,
    Beijos,
    Lorena Viana.
    vinculomamaeebebe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. O melhor querida bel, é fazer como dizes, ou então ler esse texto mais vezes, é lindo e verdadeiro, olha vou potar como anónima pois não consigo postar como: xunandinha-o meu blog é o conversas com xunandinha, agradeço também a tua visita, beijocas

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga Bel!
    Depois de uma temporada de trabalho com na realizações de festas, cá estou eu já com menos trabalho e com mais disponibilidade para o que gosto que são os meus blogues e seguidores.
    Gostei deste poema e o que você descreve, como sempre lindissimo!

    Um beijo bem grande.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Bel!
    Vi o seu Blog e achei uma graça. Já sou seguidora.
    Convido você a conhecer Sapatinhos da Dorothy, se gostar me siga também para trocarmos ideias.
    Abraço,
    Sandra

    ResponderExcluir
  9. Bel, que texto mais lindo! Não conhecia. Amei!
    Menina, nem me fale no exercício diário que é isso mesmo, heim! Estou longe de ser evoluída ainda, rsss
    bj

    ResponderExcluir
  10. Bel, o texto é lindo, verdadeiro e profundo, não há como não se encantar com ele.
    É difícil mesmo viver como as flores, mas pense assim, quando nos aborrecemos é só nossos espinhos que aparecem vez em quando.
    Nos resta podá-los quando se tornam muito cruéis, mas saber que até eles às vezes servem para nos proteger.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, Bel...
    Quero agradecer sua visita e tão gentil comentário....
    Estarei aqui...
    Abraço carinhoso,

    Sapatinhos da Dorothy

    ResponderExcluir
  12. Bel,
    Passando para deixar um alô e dizer que mandei e-mail. Aguardo sua resposta para corrigir o bloqueio, ok?
    Meu anti-spam está muito rigoroso.
    E vamos vivendo com as flores!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Oi Bel,

    Estou fazendo um passeio pelo seu blog para pegar o espírito rsrsrs.

    Esse texto é tão sábio né? Também penso assim.
    Quando criança eu vi inumeras vezes minha mãe morrer de vergonha quando meu pai bebia demais em festas de família. Ou quando ela recebia visita em casa e ficava torcendo para a visita ir embora antes que meu pai chegasse do bar. Sim, porque era onde ele estava normalmente, até mesmo em durante o serviço.

    Hoje adulta, nas conversas que tenho com minha mãe, e diante dessa mesma situação que vejo outras esposas passarem, eu sempre digo que vergonha, se for o caso, é para eles e não para as esposas. Não acho justo ficar apreensiva e envergonhada por uma atitude que não é minha.
    E quem está de fora, sinceramente, não ve nada demais em uma brincadeira ou outra "de bêbado". Quer dizer, estou respondendo por mim, pq sei que a quem não goste mesmo, como se a bebedeira fosse uma doença contagiosa. É uma doença, mas deveria ser "respeitada e tratada" como qualquer outra. Esses casos específicos, não são de homens violentos,apenas de homens que bebem demais, e dos quais não sabemos o que esperar...

    Sei o quanto é difícil se desligar de defeitos daqueles que convivemos, é uma luta diária... Mas, é o mais sábio mesmo a se fazer. Se não isso, orientar com carinho o melhor caminho, coisa que também é muito difícil para muitos de nós, talvez para mim inclusive.
    Enfim esse texto está me rendendo profunda reflexão, ficaria horas aqui falando sobre elas, mas isso viraria um canstativo post-comentário. Então ficarei aqui com meus botões...

    Beijossss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Blogagem Coletiva 5ª Fase - Reintegração

Poema à boca fechada